terça-feira, 3 de março de 2009

A semana que passou...

(OBS introdutória: não imaginei que quando começasse a blogar ficaria amarrado ao blog por laços tão fortes. Mesmo descansando e tentando me esquecer dessa cachaça, tive de me preocupar para não voltar a ativa desatualizado. Fica a constatação: manter um blog essencialmente sobre a atualidade é como ter um bicho de estimação. É coleira na certa, mas não para o animal, e sim para você)

Depois do ziriguidum carnavalesco, é hora de retornar aos costumes. Fim da ilusão, dos excessos e do besteirol que só Momo é capaz de proporcionar.

É um fim de carnaval tardio, diga-se de passagem. Acredito que fui um dos poucos que levou o recesso tão a sério. Fui tentado a blogar na segunda-feira de carnaval quando a Honda anunciou que, na verdade, não havia comprador coisa nenhuma. Mas me recusei a falar sobre uma situação que, no fundo, continuava a ser a mesma.

Mas os dias de farra produziram algumas notícias ora curiosas, ora tenebrosas. Teve para todos os gostos: de Ron Dennis desfraldando bandeira branca para a Ferrari ao RBS anunciando sua saída da Williams. Ah, também teve a Williams e a Force India lançando carro novo, a última com apoio técnico da McLaren.

Vamos às memórias do carnaval:

24 de fevereiro

- O carnaval, como se sabe, inspira no ser humano um sumiço de boa parte do senso de razão. As pessoas se acham no direito de fazer coisas que normalmente causariam rubor ao mais despudorado dos homens. Também é notório o número de casos de amor de carnaval (quem nunca teve um?), com validade até a quarta-feira de cinzas.

Um dos infectados foi Ron Dennis. O supremo-chefe da McLaren declarou: “hoje eu tenho uma maneira totalmente diferente de ver a Ferrari do que há um ano. Naquele tempo, nossa relação era muito difícil, mas talvez os momentos assim [o escândalo de espionagem] aproximam as pessoas (...) tenho uma relação excelente com Luca di Montezemolo. Ele é uma figura muito importante entre as equipes para melhorar o esporte”.

Não sei, mas suspeito que as declarações de Dennis foram dadas em plena Sapucaí, no camarote de uma cervejaria. Imagino que ele estava acompanhado por um loiro com traços nórdicos visivelmente embriagado (mas ele não havia prometido parar de beber?);

- No mesmo dia a Vodafone, uma das maiores patrocinadoras da equipe McLaren, anunciou a demissão de 500 funcionários no Reino Unido. A intenção é cortar gastos para enfrentar a crise mundial.

A companhia informou que um plano de redução de custos será implementado para que a Vodafone mantenha-se competitiva no mercado inglês. O objetivo é economizar 1 bilhão de euros até 2011. Não se sabe se nesse pacote de contenção de gastos, a F-1 estaria envolvida;

25 de fevereiro

- O banco escocês RBS anunciou sua saída da cota da patrocínios da Williams em 2010, quando termina o compromisso entre as partes. Depois de um mal-estar causado por um reportagem de um jornal inglês, o banco viu-se cobrado pela opinião pública a cortar gastos considerados supérfluos;

27 de fevereiro

- Falando em Williams, a equipe apresentou o layout oficial da temporada 2009. Continua a mistura de azul e branco tradicional dos últimos anos, mas há a impressão de que o tom de azul tenha sido alterado. Há notáveis espaços vazios, frutos da saída de patrocinadores como a Petrobras.

A maior novidade do carro de Grove é aerodinâmica: duas aletas formam protuberâncias nas laterias da proteção do capacete do piloto. Pelo menos atá agora nenhuma outra equipe protestou por violação ao regulamento;

28 de fevereiro

- Acostumada a fechar o grid, a Force India espera que a parceria com a McLaren renda pelo menos alguns pontos. Com essa expectativa, a equipe do endinheirado Vijay Mallya apresentou seu novo bólido, agora com propulsores Mercedes-Benz.

Além dos motores, a McLaren-Mercedes também fornecerá câmbio e KERS à equipe Force India.

Os carros que serão pilotados por Giancarlo Fisichella e Adrian Sutil sofreram também grandes alterações em sua estrutura cromática. Passaram a se destacar o verde e o laranja, as cores da bandeira da Índia.

A equipe indiana espera dar um grande salto em 2009.

Mas não necessariamente esse tipo de salto.

4 comentários:

Marcos Antônio Filho disse...

relamente blogar é um vício...Minha namorada "adora" quando não dou atenção pra ela pq eu to pesquisando noticiar pra postar no blog...

O Azul da Williams está mais claro,essas aletassegundo o Sam Michael não são aerodinâmicas, são apenas pra melhorar o fluxo de ar para a traseira e que a BMW vai lançar uma parecida em breve...será?

Ron Groo disse...

E deu tempo para tudo isto durante os baticuns? Alí, enquanto você estava vestido de baian... digo de ritimista?

Paulo Maeda™ disse...

olha q eu nem tinha reparado com atenção nos vazios da pintura da Williams, mas tb Sir Williams podia por alguma coisa ali, tipow... o nome da equipe ou tantas outras coisas que a gente vê ae nos carros, ficaria melhor do que o imenso vazio...
Ficou interessante a pintura da Force India, tomara que o carro ande tb neh hehe

Fábio Andrade disse...

Marcão: é, rapaz, não dá para controlar. E o pior é a sensação de estar por fora do que acontece;

Groo: não, quem foi pra avenida de baia... ritmista foi o Bruno Senna. O pobre moço se desiludiu com a vida depois da não-venda da Honda e se revelou na Sapucaí...

Maeda: que nada, as vezes um lugar vago deixa o carro mais ao natural. E o carro me parece tão bonito (menos feio, na verdade) que é até bom.