segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Cabeças continuam a rolar: dónde está la plata? [2]

Falar de crise, falta de patrocínio, fuga de capitais e outros termos mercadológicos já encheu. Há dias que a F-1 está mais adequada às páginas dedicadas à economia do às colunas esportivas.

Hoje, as especulações continuaram. A empresa de eletrônicos Philps, patrocinadora da Williams, divulgou prejuízo de 1,470 bilhão de euros e que cortará 6000 postos de trabalho pelo mundo.

Não é a primeira ameaça que a Williams enfrenta. No ano passado, assim que a crise estourou, o banco britânico RBS precisou de ajuda do governo inglês para não quebrar.

A instituição financeira ING, que estampa seu nome nos carros da Renault, também apresentou suas enormes perdas. O prejuízo em 2008 foi de cerca de 1 bilhão de euros. A ING, que também patrocina várias etapas do mundial de F-1, precisou ser socorrida pelo governo holandês. Haverá cortes de 7000 vagas de trabalho na companhia nos próximos meses.

A enxurrada de notícias negativas já fez com que o banco holandês se manifestasse. Segundo a assessoria de imprensa da financeira, os investimentos na Renault em 2009 estão garantidos, mas uma possível renovação de contrato será cuidadosamente estudada.

Diante do caos que ameaça a sobrevivência de Williams e Renault, fica um guia para quem passa por essa página e ainda está confuso quanto ao modo pelo qual a crise ameaça o futuro da F-1.

São 9 perguntas e respostas encontradas no site da revista Veja e que explicam os laços que unem a crise à F-1 de forma simplificada para não-iniciados.

6 comentários:

Felipão disse...

E o pior que não existe perspectiva de melhoras...

O negócio tá feio feio feio

Marcos Antônio Filho disse...

Tá feio mesmo o negócio. Tirando a Ferrari,Mclaren,BMW e Red Bull, tá todo mundo de pires na mão.Isso faz a gente temer pelo o futuro da F1

Paulo Maeda™ disse...

Marcos vc esqueceu da Force India. Nao tem tanto dinheiro assim, mas ainda pode caminhar até q decentemente.

Bom peço perdão pela palavra que vou usar mas .... kct onde tudo isso vai acabar? Nao é possível que grandes instituições não tenham um plano B diante de crises.... ou entao tudo que aprendi na minha facul de Administração de Empresas não serve pra nada...

Felipão disse...

Eu acho que a Force India tá muito quietinha até agora... Sei não...

Diego Maulana disse...

A situação ta complicada mesmo. Mesmo com os planos e politicas de economia, cada hora surge algo novo. Não sei não, mas se a crise não for amenizada, o quadro para 2010 é preocupante.

Fábio Andrade disse...

Felipão: eu cheguei a temer pela realização da temporada. Espero que não seja para tanto;

Marcão/Maeda/Felipão: acho que a FI vai se garantir com esse apoio da Mercedes. Veio muito a calhar para eles.

E Maeda, é mesmo de assustar a falta de uma programação diante de um quadro desses;

Maulana: é cara, em alguns locais já se fala em depressão econômica. É como eu disse, torço para que seja menos do que isso.