segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Red Bull 2009: RB5

Com o bico que promete ser o mais pronunciado do mundial, a Red Bull Racing mostrou ao mundo o bólido que usará para disputar a temporada 2009 da F-1. O RB5 é a aposta da equipe suíça para fazer bonito, sendo guiado pelo promissor Sebastian Vettel e pelo semi-geriátrico Mark Webber.

A apresentação modesta (como têm sido modestas todas as apresentações nesse 2009 de crise) foi feita em Jerez de La Fronteira, tradicional palco de testes da F-1. O carro foi projetado pelo festejado Adrian Newey que, como tantos outros técnicos da área, salientou que as mudanças no regulamento são das mais radicais das últimas décadas: "este ano terá provavelmente a maior mudança nas regras desde 1983, quando os carro-asa foram proibidos. É uma mudança drástica. Começamos com uma folha em branco e consideramos todas as implicações das novas regras e como interpretá-las.” – disse o projetista, que também foi cético em relação ao aumento das ultrapassagens. Segundo Newey, “ficará um pouco mais fácil, só que não será uma mudança grande como as pessoas desejam. O desenho dos circuitos ainda é o fator mais importante para que haja trocas de posição. No ano passado, o pelotão estava muito próximo, com um grid bem apertado e cinco equipes vencendo corridas. Acredito que o novo regulamento vai gerar um efeito contrário, com só um ou dois times acertando em cheio e vencendo todas as provas."

Para Sebastian Vettel o novo regulamento também terá, em um primeiro momento, efeito contrário ao desejado. Apesar de acreditar que “as novas regras podem dar a times como o nosso [RBR] a chance de diminuir a diferença para os mais fortes", Vettel reitera a força das duas equipes-titãs: "Ferrari e McLaren são as favoritas, sem dúvida."

Outro integrante do elenco da equipe dos energéticos se dedicou a falar sobre os aspectos técnicos do carro. Geoffrey Willis, chefe do time, ressaltou que a adoção do KERS e a mudança dos pneus sulcados para slicks obrigaram a equipe técnica a moldar um carro totalmente novo. Segundo Willis, a questão da distribuição do peso será crucial para equipes que queiram obter sucesso nessa “nova” F-1. Trabalhar para minimizar os efeitos do peso-extra do KERS será, na opinião do chefe da RBR, essencial, até mesmo para minimizar as conseqüências que o peso do aparelho possa ter sobre o desgaste dos pneus, especialmente os traseiros, que ficarão mais frágeis. "A troca dos pneus sulcados por lisos com as mesmas dimensões faz com que os pneus traseiros gastem muito mais rapidamente do que os dianteiros”, revelou Geoffrey, que finalizou: "precisamos minimizar o efeito deletério do peso extra, além de trabalhar na estabilidade em frenagens.”

Os motores que empurrarão o RB5 continuam a ser fornecidos pela Renault, assim como o KERS, concebido numa parceria entre a montadora francesa e a Magnetti Marelli.

Dona dos números #14 e #15, a RBR espera, finalmente, vencer sua primeira corrida na F-1. Para começar a testar o novo carro, a equipe escolheu Vettel, que já realizou o shakedown na pista espanhola. Webber só pega no volante do RB5 na quarta-feira, quando estará apto a retomar suas atividades após a recuperação de sua fratura na perna.

10 comentários:

Felipe Maciel disse...

O carro vem com a mesma pintura bonita de sempre, mas pelo visto o Newey teve um trabalho pesado na asa dianteira. É o aerofólio mais carregado que lançaram até agora.

Difícil dizer se realmente vão chegar à primeira vitória. Se chegarem, vai ser graças ao Vettel. Já era hora de deixar a velhice de lado e acreditar no potnecial de quem tem muito a mostrar.

Felipão disse...

Vc bota o olho e nota de cara que eh um "Newey"... tem muita caracteristica que ja vimos em outros carros... me parece um carro vencedor...

Loucos por F-1 disse...

Vamos ver se o RB5 será capaz de levar Vettel a mais uma vitória e a primeira da equipe. Só não poder tomar uma surra da filial como no ano passado.

Abraços!

Leandro Montianele

Paulo Maeda™ disse...

O Maciel falou algo q eu nao tinha reparado, realmente a asa dianteira é a mais trabalhada de todos, tomara que seja mais eficiente mesmo. Acho q mais uma futura vitória do Vettel tb vai depender muito de como o motor Renault virá. Se estiver no msm nivel do motor do ano passado, capaz dos outros Tião(s) (ou Tiões, num sei ... rs) terem mais chance de ganhar outra.

Marcos Antônio Filho disse...

realmente a asa dianteira foi mto trabalhada e o bico é o mais alto de todas as equipes.

Ylan Marcel disse...

Mas será que o Newey vai dar uma mãozinha para o Vettel, ou continuará produzindo carroças como as últimas criações suas?
www.motorizado.wordpress.com

Diego Maulana disse...

Não sei não. Não levo muita fé no RB5. O desenho do bico realmente é algo que não tinhamos visto ainda, vamos ver se funciona.

http://nomundodavelocidade.blogspot.com/

Ron Groo disse...

Semi geriátrico foi de doer, rs.
Eu ainda acho o Newey muito relevante em termos de projetos. O motor é bom e o Vettel também.
Sei não, este carro promete.

Loucos por F-1 disse...

Fábio, depois passe lá no Loucos por F-1, pois fizemos uma indicação do seu blog.

Abraços!

Leandro Montianele

Fábio Andrade disse...

Maciel: acho que a pintura do RBR ficou mais realçada com esse modelo de carro que estreará em 2009. Gostei muito.

E aposto que o Vettel vai engolir o Webber. Vi outro dia no Fábio Seixas uma frase que me obrigou a rir: "pobre Webber."

Pobre mesmo;

Felipão: o Newey interpretou o regulamento de uma forma muito particular. Esperemos para ver no que vai dar;

Leandro: acho que sem o Vettel a STR perde um pouco o poder de fogo. Mas confio muito na capacidade do Bourdais;

Maeda: eis um ponto importante. Acho que com a permissão de poder desenvolver os propulsores, a Renault vai fornecer alguns cavalos a mais à RBR;

Marcão: o carro ter um ar de elegância que me agrada. Acho que isso se dá justamente pela finura do bico;

Marcel: espero que a primeira opção se confirme;

Maulana: você foi mais cético até agora. Pelo histórico do Newey nos anos 90 eu dou um voto de confiança;

Groo: estou com você. A simpatia pelo novo RBR se estendeu por toda a F-1;